“No Brasil, a pena máxima é de 30 anos. Eu paguei a vida inteira por causa de uma derrota”

“No Brasil, a pena máxima é de 30 anos. Eu paguei a vida inteira por causa de uma derrota”. Essa declaração foi dada por Barbosa, goleiro do Brasil na Copa do Mundo de 1950 e considerado por muito tempo como o responsável pela derrota da Seleção na final para o Uruguai.

Vítima de racismo, um dos maiores ídolos do Vasco sofreu com comentários da imprensa e dos torcedores, que chegavam a apontar para ele quando o viam na rua. Sem conseguir estabilidade financeira com o futebol, Barbosa, quando pendurou as chuteiras, trabalhou limpando as piscinas do parque aquático próximo ao Maracanã e contou com a ajuda financeira de Eurico Miranda para pagar o aluguel de onde morava quando já estava mais velho. Depois do Maracanazo, criou-se um estigma racista em relação aos goleiros negros e, ao longo dos anos, foi raro vê-los nos grandes clubes e na Seleção.

Com informações do Baú do Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *